Início Cicloviajantes Estradas Cruzadas #3- Warmshowers ou couchsurfing, qual a melhor Hospedagem na cicloviagem?

Estradas Cruzadas #3- Warmshowers ou couchsurfing, qual a melhor Hospedagem na cicloviagem?

2041
0
COMPARTILHAR

Artigo: Rafael Pinheiro para o Portal Cicloaventureiro

@EstradasCruzadas

 

⦁    HOSPEDAGEM
Todo mundo adora dormir na barraca durante uma cicloviagem, não é? Mas sejamos honestos, chega uma hora que seu corpo precisa (e merece) um descanso. E seja para uma recuperação física ou simplesmente para ficar no meio de gente, é natural se buscar opões normais de hospedagem, como hotéis hostels ou um AirBnb.
E quando estamos falando de uma viagem longa, hospedagem é um item  sempre presente nos orçamentos e que nos faz feliz quando podemos eliminar. E sim, é possível eliminar. A seguir vou descrever algumas opções testadas e aprovadas por mim durante a viagem, e no final vão estar todos os links das plataformas citadas.

Na fronteira entre Argentina e Chile, ainda na Terra do Fogo Hospedagem Solidária.

⦁    Voluntariados
Se você está querendo ficar alguns dias a mais em alguma cidade, pode buscar um voluntariado, que é basicamente uma troca de uma quantidade pré – estabelecida de horas de trabalho por hospedagem, e em alguns casos, comida. Geralmente fica em torno de 4 ou 5 horas por dia, deixando você com o resto do tempo livre para ocupar-se de suas próprias coisas, ou até mesmo encontrar um meio de ganhar dinheiro no local.

Existem diversas plataformas que aproximam voluntários e locais que oferecem esse serviço. Em geral elas cobram uma taxa anual para disponibilizar o serviço, como o Worldpackers, Workaway, entre outros. O valor pago é uma assinatura anual, que torna acessível, mas nada impede que você “dê a cara a tapa” e entre em contato com hostels e pergunte se eles aceitam esse tipo de troca. Utilizar as plataformas se torna viável já que não somente hostels dispõe dessa modalidade de hospedagem, mas também fazendas de permacultura, construção, e até mesmo pessoas querendo aprender outros idiomas
Fora isso, você ainda tem a chance de compartilhar o tempo com gente do mundo todo, praticando novos idiomas, aprendendo novas habilidades, e fazendo um pouco de festa, porque ninguém é de ferro.

Conhecendo neve em El Calafate durante um voluntariado – 2018

⦁    Hospedagem solidária
Entramos agora em um tema que eu gosto bastante. Se você gosta de ter uma experiência de imersão cultural, esse tipo de hospedagem é o ideal. Basicamente são plataformas em que as pessoas te oferecem um canto, seja um quarto, uma cama, um sofá, ou até mesmo um cantinho do quintal para armar a barraca, em troca de conhecer mais sobre tua cultura, tua história. Parece fácil demais né? E é! Recebo gente em casa desde anos antes da viagem, e atualmente já fiquei na casa de mais de cem pessoas e posso garantir que é fantástico! Claro, Sinto obrigação de salientar que não é a intenção da plataforma a economia, e sim experimentar a cultura local. Nisso, é provável que a pessoa que vai te receber queira te levar provar a culinária local, ou à algum lugar famoso, e isso envolve algum custo.
Agora você deve estar perguntando:

É seguro ficar na casa de um estranho?

Sim!, é bastante seguro!

As plataformas oferecem um sistema de qualificação através de referências, feitas após a pessoa ter hospedado alguém ou se hospedar, que são inalteráveis e inapagáveis, o que torna fácil de ambos os lados avaliarem com quem estão tendo contato. Claro, apesar do sistema ser bastante eficaz, como em qualquer situação da vida, é prudente ser cauteloso. Como diriam os mais velhos: “Um olho na missa, outro no padre”.
As plataformas mais conhecidas desse tipo são o Couchsurfing, mais conhecido, utilizado, e que é generalista, utilizado por mochileiros, cicloviajantes, viajantes convencionais, e o Warmshowers, que é voltado para o público que viaja ou admira quem viaja de bicicleta.


Qual é o melhor?

O melhor é usar os dois. A vantagem do Couchsurfing é a quantidade de usuários, que é muito maior, e por ser mais conhecido se torna mais organizado, contanto com eventos para o pessoal interagir. Já o Warmshowers, apesar de ter um público mais restrito, oferece um mapa interativo com a localização aproximada dos anfitriões, o que é uma ajuda enorme no momento de planejar os pontos de apoio em uma viagem.
Tem custo para usar essas ferramentas? Não! Quando você se cadastra aparece a opção para ter uma verificação paga ou fazer doação, porém é só uma maneira de apoiar a existência das mesmas e/ou destravar certas “limitações” (no caso do Couchsurfing), mas que não atrapalham em nada o uso das mesmas. Note: Caso você decida pagar, esteja ciente de que O PAGAMENTO NÃO GARANTE que você seja hospedado por alguém A função da plataforma é só aproximar quem oferece um espaço na casa, de quem precisa de um lugar pra ficar e quer ter uma experiência cultural.

Uma dica para aumentar as chances de alguém aceitar te receber é preencher todo o perfil, adicionando contatos de outras redes sociais e fotos e informações que sejam pertinentes a quem vai abrir a casa pra você. Nem seria necessário estar falando sobre isso, mas acho fundamental ao enviar uma solicitação de hospedagem à alguém, e sabendo que se trata de hospedagem solidária, é de bom tom fazer isso de maneira individual e mostrando o mínimo de humildade. Ninguém gosta de receber uma solicitação “copiar e colar”, nem ser tratado como se fosse um hotel grátis. Ah, sem esquecer de que se você não está pagando para se hospedar, se dispor à compartilhar os gastos com comida e ser organizado é o mínimo, não é?

Ah, uma dica extra: Se você ainda não está viajando, por que não se dispõe a receber viajantes na sua casa? Eu garanto, vai mudar sua cabeça.

Encontro Nacional Couchsurfing Argentina (uma das mesas, claro) – 2018

⦁    Permutas
Essa é uma daquelas coisas que eu nunca achei que funcionariam, mas que no fim, testei e descobri que funcionam. Você possui câmera fotográfica e habilidade com ela? Por que não usar isso para descansar no conforto de um quarto de hotel?
A estratégia é basicamente coragem. Explicar cordialmente a história da viagem, e oferecer seu serviço em troca de uma quantidade de estadia. Pode dar certo ou não, dependendo da sua capacidade de negociação.

⦁    Camping
Mas claro, se você, assim como eu ama o contato com a natureza, vai precisar eventualmente de um tempo no seu hotel de bilhões de estrelas, e nada melhor que um camping selvagem pra isso. Porém, caso você não conheça também existe um App pra te ajudar com isso, e se chama iOverlander. Foi originalmente criado pro pessoal eu viaja de motorhome, mas caiu no gosto de todo tipo de viajante, e hoje em dia é quase que obrigatório pra cicloviajantes. Lá você pode encontrar informações sobre onde acampar, a situação do lugar, se possui energia elétrica e água, além da opinião de quem já passou por lá. Vale bastante a pena.

Ponto de camping junto à Policia Vial Argentina, encontrado via iOverlander – 2018

LINKS
https://www.worldpackers.com/
https://www.workaway.info/
https://www.warmshowers.org/
https://www.couchsurfing.com/
http://ioverlander.com/

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Por favor coloque seu nome aqui